Eventos, Projetos Culturais

III Carnaval de Rua Solidário Bar do Museu Clube da Esquina – 04/03

É Carnaval! E para celebrar a melhor época do ano, o Bar do Museu Clube da Esquina traz o seu tradicional Carnaval de Rua Solidário. Confira a nossa programação para a Segunda, dia 04/03

09:00 – Bianca Luar

Bianca Luar, cantora, especialista em Educação Musical pela UFMG, também formada em Violão Popular pelo conservatório estadual Lorenzo Fernandes em Montes Claros. Já dividiu o palco com artistas como Toninho Horta, Beto Guedes, 14 Bis entre outros e em sua estadia na Hollanda foi vocalista da banda Hollandeza de Jazz “Jazzbell”.

Foi classificada para o “Festival de Música Independente” 2008, parceria do Palácio das Artes e Rádio Inconfidência. Finalista classificada também para o “Cantoras Daqui” Programa do BDMG Cultural 2009. Atualmente atua nas áreas de produção cultural, arte educação infantil com o Circo Marimbondo, está apresentando seu trabalho “MIRA”, produzido por Tattá Spalla e Ian Guedes. O cd está sendo bastante elogiado pela crítica e público especializados, por apresentar além de uma sonoridade sofisticada e sensível conta com um repertório bastante diversificado e um time de músicos conceituados da cena musical Mineira e Brasileira.

10:30 – Banda do Polvo

O Bloco do Polvo foi idealizado no ano de 2016, por três amigos: Pedro Lage, saxofonista, baterista e percussionista; Matheus Romualdo, artista plástico; Camilo Lelis, professor de filosofia.  Na formação do bloco, agregou-se outros educadores e músicos.

O intuito do bloco então formado era resgatar o carnaval para a família, levando aos adultos, jovens e crianças o lado alegre, espontâneo e lúdico desta festa tradicional.

Nos primeiros desfiles do bloco, foram utilizados instrumentos de percussão mais usados em escolas de samba, como a caixa, repinique, tamborim, surdo e outros, além de violão e trompete. As músicas escolhidas foram, principalmente, marchinhas antigas, samba, bossa nova, samba-reggae e de Raul Seixas e Clube da Esquina.

O tema da alegoria do bloco é o fundo do mar e traz a figura do polvo como mascote, criado por Matheus Romualdo, o que despertou o encantamento e a curiosidade das muitas crianças que participaram dos desfiles.

Em 2018, Pedro Lage e Matheus, começaram estudos de ritmos africanos e ajuntaram aos ritmos brasileiros, criando, assim, ritmos próprios e os incorporaram ao repertório. Simultaneamente resgataram um pouco da cultura afro-mineira através da aquisição de tambores confeccionados no Vale do Jequitinhonha. O bloco passou a ter uma formação nova percussiva, dentro desta nova perspectiva os instrumentos de percussão anteriores foram substituídos por outros adequados para os novos ritmos criados. O bloco ganhou uma identidade sonora própria e diferenciada.

12:00 – Banda Oi de Gato

Traduzir qualquer sensação e sentimentos em palavras sempre foi e será uma tarefa árdua. Este dom de dar voz aos nossos anseios, tristezas e alegrias nasceu com o Samba por simplificar em versos e canções diretas, mas de grande profundidade e precisão para a vida das pessoas. Esse poder transformador fez surgir em 2008 o Oi de Gato, que são mais do que apreciadores de Samba: são devotos dos bambas.

O desejo de aprender e chegar perto dos grandes nomes do Samba não apenas em qualidade, mas também no intuito de manter e levar essa arte para as mais distantes fronteiras da música, fez com que o grupo formado por Cristiano Guimarães (percussão), Daniel Miguez ( voz), Daniel Filho (violão e voz), Nathan Silva (cavaquinho), Rodrigo Pelezinho (trombone) , Joel Araujo (percussão) e Samir Valente (Percussão) conquistasse a atenção do grande público em suas apresentações em várias partes das Minas Gerais.

O aprendizado e trabalho firme da banda gerou participações importantes em eventos como Comida di buteco (2014,2017), Parque da Brahma, Circuito de Bloquinhos (praça JK),O Samba Bate Outra Vez, Estação do Samba no Carnaval de BH (PBH 2013/2014/2015,2016,2017,2018), Inauguração da nova Praça da Savassi, aniversário de 82 anos do Mercado Central, Festival Cachaça Gourmet, além de parcerias com grandes nomes nacionais como Fundo de Quintal, Casuarina, Zeca Pagodinho, Seu Jorge, Toninho Horta e bambas de peso no cenário mineiro.

O trabalho base do Oi de Gato posta em um repertório de releituras de clássicos do samba, misturados à bossa nova e ao samba-rock com tratamento diferenciado nos arranjos e entonação das melodias. Constam em seu “setlist” sucessos de compositores e intérpretes como Chico Buarque, Adoniran Barbosa, Ary Barroso, Paula Lima, Seu Jorge, Jorge Ben Jor, Clara Nunes e Dona Ivone Lara entre outros.

Em 2017 o grupo prepara o segundo material autoral na caminhada no mundo do Samba: criar sua identidade musical com a própria percepção sobre os temas da vida, algo recorrente e muito eficaz nos sambistas que fazem a leitura do mundo ao nosso redor. Outro aspecto a ser ressaltado no som do Oi de Gato é a capacidade de reler os sambas apresentados com ares bem contemporâneos e dançantes, criando uma empatia natural com o público presente em seus shows. Um trabalho rico em sua musicalidade, prezando pelos altos padrões de qualidade musical e respeito pelas obras dos grandes mestres de ontem e de hoje.

14:00 – Esquina Imaginária

A banda Esquina Imaginária reverencia o universo musical criado pelos jovens músicos mineiros que se conheceram nos anos 1960 no bairro de Santa Tereza, em Belo Horizonte/MG, liderados por Milton Nascimento, Beto Guedes e Lô Borges. É composta por cinco músicos oriundos do cenário paulista e que são apaixonados por essa musicalidade, tendo cada um deles influências, aprendizados e experiências musicais diversas, mas com a mesma espinha dorsal da Música Brasileira de Minas Gerais.

O grupo elaborou um show de 1h40m, com 26 temas clássicos do Clube da Esquina, em arranjos próprios muitas vezes descolados das versões originais. Cada música é resultado da contribuição dos integrantes da banda, com ideias rítmicas, melódicas e harmônicas, dando a ela uma nova cor sem perder a alma e a mensagem proposta originalmente pelos seus compositores.

“Do fundo da noite partiu minha voz…”, frase extraída da música Clube da Esquina, do disco Milton (1970), dá título a esse show que destaca as músicas da fase inicial do Movimento, contemplando vários elementos rítmicos que vão do blues ao bolero, da salsa ao rock, do jazz ao samba, nas composições de Toninho Horta, Ronaldo Bastos, Fernando Brant, Márcio Borges, Telo Borges, além de Milton Nascimento, Beto Guedese Lô Borges

16:00 – Banda Velotrol

Banda Velotrol: Clássicos do Rock em versões próprias e identidade única. Há 15 anos nos palcos a Banda sempre se manteve fiel a dois idolatrados estilos musicais: o rock e o blues. A banda mineira destaca-se por ser irreverente audaz e divertida, assim como o brinquedo que lhe confere o nome. Com repertório diversificado de 350 clássicos, preserva as principais características das canções originais, construindo novas versões e com isso sua própria identidade. A banda é liderada por Elvis Krause (vocal) que junto a renomados músicos da cena mineira trazem a cada apresentação muita energia e interação para o público. E haja disposição!!!

 

Compareça, traga sua família e amigos, e aproveite o melhor carnaval do Brasil!!!

Endereço: Rua Paraisópolis, 738, Santa Tereza, Belo Horizonte, MG
Telefones: (31) 2512-5050 (31) 9 9688-0558
[email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *